14 de abr de 2008

COMO ENVOLVER OS JOVENS COM A IGREJA

Freqüentemente tenho ouvido pessoas dizerem: “Nossos jovens não querem nada com coisa séria”, ou “Nossa juventude está perdida”, ou mesmo “Eles estão muito secularizados, perderam o interesse pelas coisas de Deus”. Em muitos lugares essas palavras são a mais pura verdade. Os jovens estão desinteressados ou até abandonando a igreja. Precisamos agir para mudar a situação. Mas é interessante, porém, como a situação, que é negativa em uma igreja, ao contrário, é positiva em outra. Os jovens estão ativos, interessados, liderando não só o Ministério Jovem como a própria igreja e especialmente envolvidos no evangelismo. Por que essa diferença? Será que a reação dos jovens varia por causa da cidade, do estado, ou de algum fator regional? Se fosse assim, porque em uma mesma cidade, em igrejas diferentes, os jovens apresentam situações contrastantes?
Não podemos fugir à realidade de que nossos jovens são um resultado da maneira como a igreja os encara. Por isso, quero lhe desafiar, querido ancião, a pensar ou repensar a maneira como os jovens tem sido tratados em sua igreja. Se quisermos ver nossos jovens animados, envolvidos e comprometidos é preciso investir, amar e acreditar neles. Eles têm um tremendo potencial, mas precisam ser bem dirigidos para que canalizem todo este potencial para causa de Deus. Tenho me empolgado cada vez que participo de algum encontro de líderes missionários, de pequenos grupos, de anciãos ou outras áreas da igreja, e pergunto quantos dos participantes são jovens. Normalmente eles são muitos, quando não são a maioria. É sinal que eles querem trabalhar. Sei, porém, que eles podem ir mais longe, e podemos ter mais jovens envolvidos. E então, qual é o segredo?
A palavra chave faz parte do título que você acabou de ler – envolver! É ai que começa a aparecer a diferença entre as igrejas que tem jovens ativos e aquelas onde eles estão desanimados. Especialmente no início da juventude eles estão definindo suas emoções. Eles querem se “sentir parte” e não serem apenas um número a mais. Eles querem sentir que são lembrados, amados, aceitos, especiais e necessários. Se eles sentem que a igreja e sua liderança acreditam neles, estão dispostos a apóiá-los e compreender suas limitações, eles reagem positivamente.
Algumas igrejas, inocentemente enganadas, tentam conquistar seus jovens oferecendo a eles espetáculos. Isso acontece em seus cultos JA, congressos, cultos de sábado pela manhã, e em outros programas. O pensamento parece contemporâneo: “Eles são exigentes, por isso temos de trazer e investir no que há de melhor”. Ai vem os grandes nomes da música, os grande pregadores, e eles até gostam, mas não são envolvidos, nem edificados, e continuam inativos, desinteressados e secularizados.
Não existe outro caminho. Se sua igreja quer envolver os jovens com as coisas de Deus, precisa buscar maneiras criativas de organizar programas e atividades não para os jovens, mas pelos jovens e com eles. Não precisa ser nada complicado, basta:
- Chamá-los para opinar nas decisões da igreja;
- Convidá-los para pregar;
- Organizar programas especiais onde eles dão as idéias, planejam e executam;
- Trazer menos estrelas e levá-los a fazer seus próprios programas;
- Organizar projetos na comunidade;
- Desenvolver projetos de evangelismo com eles, onde vejam o resultado do trabalho que fizeram;
Essas são apenas algumas idéias. Elas podem ser aumentadas e melhoradas nas reuniões de anciãos, onde a preocupação sincera seja envolvê-los e salvá-los. Uma coisa é importante, porém, ao implementar qualquer projeto para envolver os jovens: eles precisam sentir que os projetos não são mecânicos, do tipo, “está ai a oportunidade que vocês queriam. Vejam se não vão jogar fora”. Eles querem se sentir valorizados. A liderança precisa demonstrar amor e interesse sincero andando ao lado deles. Os jovens enxergam longe. Eles vêem além das atitudes, enxergam as intenções. Eles se sentem mais motivados a participar, amar a Deus e a igreja quando:
- Os pais, líderes e outros adultos vivem o que falam. Quando isso não acontece está lançado um dos maiores venenos desetimulantes;
- Quando a programação da igreja é preparada pensando também neles e se torna atrativa a eles;
- Quando existem jovens liderando as várias áreas da igreja;
- Quando a liderança demonstra que se preocupa com tada a vida deles e não só com as questões espirituais;
- Quando os líderes estão mais preocupados em amar e ajudar do que condenar.
Envolver os jovens com a igreja e com as coisas de Deus é um grande desafio. Não creio que seja difícil, mas passa por uma parceria entre pais, líderes da igreja e lideres de jovens. Se estas três áreas se unirem, com sinceridade e oração, e seguirem os conselhos apresentados, vão ter ótimas surpresas. Lembre sempre, nesta parceria, que três palavras resumem o que precisa ser feito: Valorização, envolvimento e coerência. Estas três palavras temperando a atitude dos anciãos e moldadas pelo poder de Deus fazem milagres pela salvação de nossos jovens.

2 comentários:

  1. massa Fabio, gostei do post, pegou de onde? quem é o pregador? achei legal a idéia dele, e querendo ou não domingo foi um exemplo de incentivo, e participação com coerência do pessoal. muito massa, isso esse post veio na hora certa ^^

    aconselho o pessoal a ler.
    abraço Fabio

    ResponderExcluir
  2. Deus disse por vc tudo que precisava ouvir. que Ele te abençoe.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Posts