28 de abr de 2008

SÓ DEUS PRA ME AGUENTAR

Mateus 18:23-35
Tem horas que pergunto: como é que Deus me agüenta? Há momentos em que só Deus mesmo.
Parece que viver nesta nossa carcaça é muito difícil e complicado devido às lutas da carne. Eu poderia viver como os anjos, que não têm essa história de luta.
Viemos de uma natureza pecaminosa e vivemos como Paulo, que deixou registrado em Romanos 7:19: que o mal que não queria fazer, este fazia.
É o velho homem que tenta aparecer para frustrar, decepcionar, e sempre que acho que estou fazendo alguma coisa certa, tudo dá errado; pior — é sempre na mesma área.
É neste momento que muitas pessoas param no meio do caminho. Acreditam que o cristianismo parece algo além daquilo que estão dispostos a fazer para Deus. Não por não amá-lo, mas por falhar muitas vezes e acharem melhor abrir mão de andar com Ele.
Por maior que seja o esforço, muitas vezes essa desistência de Deus é fatal. Pior do que isso é tentar dar um jeitinho – errar, não reconhecer o erro e não tentar consertar.
Para viver em paz tenho de aprender algo sobre graça, misericórdia e Reino.

Mateus 18:23-35
Este texto fala muito sobre perdão; veremos outros ensinamentos de Jesus por outro aspecto, através desta parábola.

Parábola é uma narrativa, ficção com intuito de trazer algo novo.
Havia um reino com um rei. Este rei queria fazer um balanço das finanças do reino. Neste balanço, o rei descobre que muitas pessoas deviam certos valores ao reino. Entre elas, um homem que deveria ser o “número 1” da lista dos devedores pelo valor da dívida. Era um valor muito alto que, se comparado e trazido para os valores de hoje seria mais ou menos o valor de 1 bilhão e oitocentos milhões de reais.
O que fica claro é que este homem não tinha condições de saldar esta dívida. Ele devia ser alguém de muita importância, que apresentou um projeto onde esta fortuna foi investida. Não sabemos, mas talvez este homem, por não saber administrar, perdeu este dinheiro e faliu. Sem ter com o que pagar a dívida, o rei dá uma ordem para que ele homem fosse vendido com toda a família e tudo o que tinha.
Esta parábola não vem falar sobre finanças, mas sobre Jesus querendo nos mostrar algo que estava relacionado com Ele e sua Igreja.
O rei tipifica Jesus Cristo e os servos simbolizam os cristãos, homens e mulheres que querem andar com Deus.

Versículo 26
– O homem se prostra e começa a reverenciar este rei.

Reverente (usado no texto no grego) = quer dizer bajulador; situação típica de um cão lambendo a mão do dono.
Ou seja, ele não estava se arrependendo verdadeiramente na forma que Deus espera de nós, com temor e tremor. Ele dizia: tenha paciência, me dá uma chance que eu vou dar um jeito; e que poderia compensar e cumprir todas as exigências que o rei tinha para ele.
É exatamente o que acontece com o cristão quando é pego em pecado, quando Deus mostra através do púlpito, através de profeta,...
A primeira reação é tentar bajular a Deus, o Rei. Pede outra chance, uma outra oportunidade, diz que vai mudar, que fará diferente, faz promessas e apresenta a Deus uma falsa dor. Fere o coração do Pai.
O coração ainda está duro e não houve arrependimento genuíno. Mas está falando pra Deus: me livra da derrota, não fere minha família, não acaba com a minha carreira. E fala como se pudesse compensar a Deus pelos erros que comete. Mas tudo é pela misericórdia.
Não há nada que possa compensar Deus pelos erros que cometemos. O coração de Deus foi ferido.

Versículo 27
– Houve um perdão movido por compaixão.

O rei é um homem bom; como ele poderia estar sendo enganado?
Se o rei tipifica Jesus, não poderia ser enganado.
O rei perdoa um homem que não se arrependeu de verdade e que só estava ali bajulando. Uma pessoa que não tinha noção de quão sério eram os seus pecados.
Este homem é como um ator representando uma cena sem a menor intenção de mudar e acredita estar passando uma “lábia” no rei.
O rei sabia que o servo não queria mudar, era pura emoção e tentava dar um jeito; mas não pensava em mudanças.
Mas, ele se compadece dele por pena? Ou por dó?
Por nada disso e, sim, porque o rei observa que este homem estava doente. Ele começa a delirar porque achava que era algo insignificante.
É a mesma doença que o cristão que peca e pensa que se acerta com Deus quando chora, sempre com promessas de que irá compensar a Deus do que fez; mas esta é uma dívida impagável.
Nada do que eu fizer irá compensar o meu pecado. Ler mais a Bíblia, jejuar tudo na próxima vez que isso acontecer.
Por que ele foi perdoado então?
Porque Deus sabia que este homem iria passar por uma situação lá na frente que iria mostrar quem ele era e que nada havia mudado. Mas Jesus não quer perder ninguém, mesmo com este homem tentando manipular tanto.
Muita gente faz um voto com Deus de que irá mudar e lá fora nada acontece.
Deus tem falado repetidas vezes sobre pecados não arrependidos e nada de mudanças, o que é preocupante. Os corações devem estar duros para receber o efeito da palavra que está sendo pregada.
Aquele que é perdoado pela graça e acha que as suas atitudes no reino podem compensar o que fez, irá acabar se convencendo de uma mentira e de uma falsa paz. Aos seus moldes está bom viver com Deus assim; mas vive caindo e levantando e sai dos projetos de Deus, quando poderia estar ajudando a levantar àqueles que estão em dificuldade.
Algo novo com relação ao arrependimento é revelado:
Quando se aproximar do altar do Senhor para dizer: “Deus eu estou arrependido”, não diga só que é pela maneira equivocada de pensar, agir, falar, mas também, para se arrepender e abandonar a idéia de que poderia restituí-Lo pelos erros cometidos.
Nada, além da graça e misericórdia do Senhor, pode nos libertar.
Eu tenho de aceitar a misericórdia de Deus, pois é o único caminho onde serei liberto.
Nenhum mérito, acerto, o que fiz de bom pelas almas alcançadas, caridade; nada do que eu faça, nenhum esforço, santidade produzida por mim, nenhuma retidão que nasça dentro da minha alma, dentro dos meus padrões, pode equilibrar a minha conta com Ele; mesmo depois de descer às águas, ainda cometo pecado.

“Eu recebo a misericórdia, eu recebo a graça”.
Este homem perdoado recebe uma grande responsabilidade. O Ap. Paulo em Colossenses 3:12,13 diz que é ter mudança do estilo de vida, é estender a misericórdia aos que nos devem (Mateus 18:28–31).
A diferença entre o cristianismo e os outros “ismos”, é que não basta cumprir a adoração a Deus, o que é fácil, pois Deus é perfeito e maravilhoso; mas, também, amar ao próximo, pois as pessoas são diferentes umas das outras e do que nós acreditávamos que seriam. E se Deus nos aceita cheio de defeitos e tem misericórdia de nós, porque não sermos iguais a Ele?
Suportar é ter de tolerar as diferenças das pessoas e as coisas que nos irritam, mesmo que não gostemos.
Saber superar cada situação e perdoar para que o velho homem não venha se agarrar em nós de novo.

Versículo 32-35
– Tem horas que eu tenho vontade de voar no pescoço e esganar quem está me contrariando, mas... se eu não perdoar, Deus também não me perdoa. Se eu só ficar irritado e não amar como Deus amou....
Cometemos esses erros diariamente e nos achegamos a Deus com tanta facilidade como se não houvesse o peso destes pecados. Que seria de nós sem a misericórdia de Deus?
Quer ter paz verdadeira? Quer dar certo?
Então compreenda a dimensão do Reino e tenha uma imensidão da misericórdia e amor.
Este é um princípio para dar outros passos e conseguir cumprir os mandamentos. A palavra precisa produzir mudanças e não argumentos.
Deus nos espera de braços abertos.
Deus abençoe!
Pr. Rina

24 de abr de 2008

Músicas que marcam

Fala galera!! Sem muito o que postar, o que na real é uma grande mentira o retiro passou e muita coisa poderia ter sido postada, comentários e tal... Mas tudo bem aos poucos o blog vai =)

Esse post eu fiz para falar das músicas que marcam a nossa história na fé, a primeira e a que marcou o momento mais importante da minha vida: o dia em que aceitei Jesus e comecei a segui-lo.




E pra você, conte qual é a ou as músicas que marcaram a sua vida, o youtube tá cheio de músicas se tiver a sua posta aí.

Abraços!!

14 de abr de 2008

Jec-Cast Entrevista com Fabiana

Bem como foi falado no sábado agora temos o JEC-CAST, e a nossa 1° entrevista com a Fabiana.



Aguardem mais novidades durante a semana, divulguem o blog, e esperem com ansiedade por sexta de madrugada, faremos loucuras (ou não).
Comentem e deixem sugestões beleza?

Uma abençoada semana a todos e fiquem com Deus.

COMO ENVOLVER OS JOVENS COM A IGREJA

Freqüentemente tenho ouvido pessoas dizerem: “Nossos jovens não querem nada com coisa séria”, ou “Nossa juventude está perdida”, ou mesmo “Eles estão muito secularizados, perderam o interesse pelas coisas de Deus”. Em muitos lugares essas palavras são a mais pura verdade. Os jovens estão desinteressados ou até abandonando a igreja. Precisamos agir para mudar a situação. Mas é interessante, porém, como a situação, que é negativa em uma igreja, ao contrário, é positiva em outra. Os jovens estão ativos, interessados, liderando não só o Ministério Jovem como a própria igreja e especialmente envolvidos no evangelismo. Por que essa diferença? Será que a reação dos jovens varia por causa da cidade, do estado, ou de algum fator regional? Se fosse assim, porque em uma mesma cidade, em igrejas diferentes, os jovens apresentam situações contrastantes?
Não podemos fugir à realidade de que nossos jovens são um resultado da maneira como a igreja os encara. Por isso, quero lhe desafiar, querido ancião, a pensar ou repensar a maneira como os jovens tem sido tratados em sua igreja. Se quisermos ver nossos jovens animados, envolvidos e comprometidos é preciso investir, amar e acreditar neles. Eles têm um tremendo potencial, mas precisam ser bem dirigidos para que canalizem todo este potencial para causa de Deus. Tenho me empolgado cada vez que participo de algum encontro de líderes missionários, de pequenos grupos, de anciãos ou outras áreas da igreja, e pergunto quantos dos participantes são jovens. Normalmente eles são muitos, quando não são a maioria. É sinal que eles querem trabalhar. Sei, porém, que eles podem ir mais longe, e podemos ter mais jovens envolvidos. E então, qual é o segredo?
A palavra chave faz parte do título que você acabou de ler – envolver! É ai que começa a aparecer a diferença entre as igrejas que tem jovens ativos e aquelas onde eles estão desanimados. Especialmente no início da juventude eles estão definindo suas emoções. Eles querem se “sentir parte” e não serem apenas um número a mais. Eles querem sentir que são lembrados, amados, aceitos, especiais e necessários. Se eles sentem que a igreja e sua liderança acreditam neles, estão dispostos a apóiá-los e compreender suas limitações, eles reagem positivamente.
Algumas igrejas, inocentemente enganadas, tentam conquistar seus jovens oferecendo a eles espetáculos. Isso acontece em seus cultos JA, congressos, cultos de sábado pela manhã, e em outros programas. O pensamento parece contemporâneo: “Eles são exigentes, por isso temos de trazer e investir no que há de melhor”. Ai vem os grandes nomes da música, os grande pregadores, e eles até gostam, mas não são envolvidos, nem edificados, e continuam inativos, desinteressados e secularizados.
Não existe outro caminho. Se sua igreja quer envolver os jovens com as coisas de Deus, precisa buscar maneiras criativas de organizar programas e atividades não para os jovens, mas pelos jovens e com eles. Não precisa ser nada complicado, basta:
- Chamá-los para opinar nas decisões da igreja;
- Convidá-los para pregar;
- Organizar programas especiais onde eles dão as idéias, planejam e executam;
- Trazer menos estrelas e levá-los a fazer seus próprios programas;
- Organizar projetos na comunidade;
- Desenvolver projetos de evangelismo com eles, onde vejam o resultado do trabalho que fizeram;
Essas são apenas algumas idéias. Elas podem ser aumentadas e melhoradas nas reuniões de anciãos, onde a preocupação sincera seja envolvê-los e salvá-los. Uma coisa é importante, porém, ao implementar qualquer projeto para envolver os jovens: eles precisam sentir que os projetos não são mecânicos, do tipo, “está ai a oportunidade que vocês queriam. Vejam se não vão jogar fora”. Eles querem se sentir valorizados. A liderança precisa demonstrar amor e interesse sincero andando ao lado deles. Os jovens enxergam longe. Eles vêem além das atitudes, enxergam as intenções. Eles se sentem mais motivados a participar, amar a Deus e a igreja quando:
- Os pais, líderes e outros adultos vivem o que falam. Quando isso não acontece está lançado um dos maiores venenos desetimulantes;
- Quando a programação da igreja é preparada pensando também neles e se torna atrativa a eles;
- Quando existem jovens liderando as várias áreas da igreja;
- Quando a liderança demonstra que se preocupa com tada a vida deles e não só com as questões espirituais;
- Quando os líderes estão mais preocupados em amar e ajudar do que condenar.
Envolver os jovens com a igreja e com as coisas de Deus é um grande desafio. Não creio que seja difícil, mas passa por uma parceria entre pais, líderes da igreja e lideres de jovens. Se estas três áreas se unirem, com sinceridade e oração, e seguirem os conselhos apresentados, vão ter ótimas surpresas. Lembre sempre, nesta parceria, que três palavras resumem o que precisa ser feito: Valorização, envolvimento e coerência. Estas três palavras temperando a atitude dos anciãos e moldadas pelo poder de Deus fazem milagres pela salvação de nossos jovens.

11 de abr de 2008

JEC - CAST! YERH!

Fala raça! Meio louco mais saiu o primeiro podcast da Jec, o JEC-CAST.
Todo sábado vamso sortear alguém para ser entrevistado na salinha da jec contando um pouco sobre a sua vida, fé, coisas que gosta de fazer...



IRAAAAAAA!!

A gravação ficou meio zoada, feita bem rapidão mais prometemos que a coisa vai melhorar!!

Sábado JEC
DOmingo ALMOÇO!!!!!!!!!!

4 de abr de 2008

Vale a pena!

A revista Veja deste mês na pág.48 possui um comentário irado do jogador cristão Kaka do Milan sobre se guardar antes do casamento que ele fez em uma entrevista a uma rádio espanhola:

"Não foi fácil chegar ao casamento sem ter estado com uma mulher. Com Caroline, nos beijavamos e havia desejo, mas sempre seguramos a barra. A Bíblia diz que o amor verdadeiro se encontra na noite de núpcias."


SHOW DE BOLA!

Abraços galera!

3 de abr de 2008

Almoço da JEC

Apenas repassando a pedido da Schuch e da Carmem a lista de atividades que cada um deverá realizar no Almoço:

"- Doação que os meninos devem fazer o valor R$ 4,00, para comprar creme de leite, copos e guardanapos:
Raphael Campos
Paulo Koterba
Felipe Teixeira
Bayer
Rodrigo (gaúcho)
Ruben Reginaldo
Rubens Ribeiro Jr
Lucas Reginaldo
Patrick
Elgydio
Lucas Pirath
Lucas Schovepper
Artur Werlich
Pedro Werlich
Eduardo (grande)
Kiko
Marcel
Felipe Lusenberg
Gustavo
Rodolfo
Thiago

- Assar o Galeto:
Elgydio
Fabio Sell
Ricardinho

- Enrolar doces:
Carmen
Fernanda
Martina
Ivana
Vanilda
Gerth
Patrícia
Simone
Karina
Pamela
Julia
Inara
Naiana

- Ajudar no Sáb para almoço:
Carmen
Gerth
Martina
Fernanda
Bruna

- Ajudar no domingo de manhã para almoço:
Carmen
Simone
Bruna
Patricia
Vanilda

- Arrumar salão p almoço:
Artur
Pedro
Marcel
Lucas P
Kaleb
Gustavo
Felipe L
Lucas S
Kiko
Bruno

- Distribuir Refrigerante:
Kaleb
Rodolfo
Amanda
Sissi
Ruben Reginaldo
Felipe L
Philippe Nobre
Alex
Guilherme

- Vender os Doces:
Julia
Pamela
Priscila
Eduarda
Vanessa
Hellen
Camila
Bruna
Karina
Karine

- Ajudar durante o Almoço:
Felipe Teixeira
Thaise
Martina
Gerth
Koterba
Vanilda
Grande
Naiana
Bayer
Thiago
Bruna
Patrick

- Caixa:
Fernanda Schuch
Patrícia

- Lavar a Louça, arrumar o salão e cozinha:
Bayer
Bruna
Grande
Naiana
Nicholas
Inara
Carmen
Patrick
Fernanda
Patrícia
Martina
Felipe
Thaise
Rodrigo (gaúcho)
Koterba
Karina
Karine
Vanilda
Julia
Pamela
Lucas Reginaldo
Rubens Ribeiro Jr
Ruben Reginaldo
Guilherme
Felipe Werlich
De preferência que todos ajudem a arrumar o salão no final."
Ocorreu um erro neste gadget

Posts